A Importância do Estágio Para a Formação Acadêmica e Pessoal do Estudante

É celebrado no dia 18 de agosto, o Dia Nacional do Estagiário. Tal data marca a publicação do primeiro decreto que regulamentou o estágio. São garantidos, desde 1982, uma série de direitos aos estudantes que se submeterem ao referido contrato.

O que é o estágio

O estágio é uma modalidade de trabalho que tem como principal objetivo a aprendizagem relacionada a sua área de formação, dando aos estudantes a oportunidade de aprender na prática e, em troca, utilizar seu conhecimento para realizar tarefas simples e auxiliar em sua empresa.

Deveres e Direitos 

Em uma relação de estagiário e empregador, é necessário o cumprimento de certas obrigações por parte do contratante, como por exemplo: a) Dispor de um ambiente adequado para a aprendizagem, bem como, de um orientador para auxiliá-lo; b) Possuir um vinculo com a instituição de ensino que irá além do contrato de estágio. Sendo necessário, também, o envio periódico de relatórios apontando as atividades exercidas pelo estudante; c) Pagar ao estudante, salvo em casos de estágio obrigatório, uma bolsa-auxílio. Bem como, vale transporte; d) Contratar um seguro de vida; e e) Manter o contrato com um estagiário por, no máximo, 2 anos.

Já o estagiário, deve estar star matriculado e frequentar uma instituição de ensino, além de possuir, no mínimo, 16 anos.

Por fim, após a contratação, o estagiário deverá cumprir os horários acordados previamente, justificar em caso de faltas e, é claro, comparecer às aulas na instituição de ensino vinculada.

Como direitos do empregador, podemos elencar os custos reduzidos, a flexibilidade e pró-atividade do estagiário e a possibilidade de capacitação de um futuro profissional.

O estudante, por sua vez, poderá gozar dos direitos de carga horária reduzida à metade em época de provas, ter uma mentoria e orientação profissional, bem como 30 dias de férias remuneradas a cada 12 meses trabalhados;

Lei do Estágio

A Lei nº. 11.788/2008, regulamenta as atividades prestadas pelos estagiários, estabelece obrigações para as instituições de ensino e para a parte concedente. É importante ressaltar alguns direitos previstos na legislação.

Primeiramente, o limite de jornada que um estagiário pode cumprir é muito reduzido daquele previsto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A carga horária se restringe 4 horas diárias e 20 horas semanais, para estudantes de ensino fundamental e 6 horas diárias e 30 horas semanais para estudantes de nível médio, técnico e superior.

A remuneração será devida, entretanto não é igualada um salário de um trabalhador comum. Não há um piso salarial fixo, portanto o empregador estabelecerá o valor. Fica a critério deste a concessão de outros benefícios.

Por fim, as atividades devem ser compatíveis com a jornada estabelecida e a remuneração. Caso a empresa não cumpra com as cláusulas estabelecidas, poderá ser processada perante a Justiça do Trabalho.

A importância do estágio para a formação acadêmica e pessoal do profissional

É fato notório que a experiência prática durante um curso de graduação faz-se imprescindível.

A teoria é, sim, de suma importância para a aprendizagem e não pode ser descartada em hipótese alguma.

Entretanto, a pratica dará a qualquer estudante um diferencial, pois é com ela que os jovens terão a oportunidade de entender como funciona e aprender a lidar com as eventuais adversidades do cotidiano de sua futura profissão.

E, para atender a essa necessidade, recorre-se ao estágio.

Conforme já exposto, esta modalidade de trabalho surge em 1982, especificamente em 18 de agosto, dia da publicação do primeiro decreto que regulamentou o estágio e que, posteriormente, marcou a referida data como o Dia Nacional do Estagiário.

Mas, afinal, quais são as dimensões contempladas pelo estágio? Para responder essa questão, consoante acima exposto, destaca-se, principalmente: a aprendizagem aprofundada, o desenvolvimento pessoal do estudante e a inserção do futuro profissional no mercado de trabalho.

Tais aspectos proporcionam ao universitário o aprimoramento de seus conhecimentos e competências, bem como oportunizam uma ligação direta do mundo acadêmico com o mundo empresarial, criando assim, condições efetivas de crescimento e desenvolvimento.

Entretanto, a diferença que tal experiência faz na vida do estudante vai muito além do período em que, de fato, permaneceu estagiando.

O conhecimento ali adquirido é algo que ele levará para a vida.

O trabalho, o ambiente e os colegas são fatores que influenciarão diretamente no futuro do estagiário. Sendo estes últimos, capazes de motivá-lo a melhorar e se superar a cada dia e, ainda, de sempre buscar aprender coisas novas, não só porque precisa, mas porque gosta.

Da mesma forma, os empregadores e colegas mais experientes podem auxiliar o estagiário a notar que a profissão intentada pode não ser aquela que efetivamente deseja como futuro.

Independente do rumo dessa experiência, o fato é que o estágio auxilia, também, no processo de autoconhecimento do estudante e o ajuda a entender o que o futuro lhe reserva, evitando surpresas desagradáveis em momento ulterior.

Conclusão

Ante o exposto, resta nítida a grande contribuição do estágio para a formação da identidade profissional e pessoal dos jovens, pois participa de um momento decisivo no desenvolvimento da vida do futuro profissional.

Assim, o estágio prepara não apenas profissionais competentes e qualificados, como também pessoas melhores e mais responsáveis.

Ficou com alguma dúvida? Consulte um advogado (clique em ‘fale conosco‘ ou converse conosco via Whatsapp).

Clique aqui e leia mais artigos escritos por nossa equipe.

AUTORES

Isabela Friesen Silva. Acadêmica de Direito da Unicuritiba. Ex-estagiária no Barioni & Macedo Advogados.

Julia Biscorovaine Munhoz. Acadêmica de Direito da PUC/PR. Estagiária no Barioni & Macedo Advogados.

Luiza Carvalho de Oliveira. Acadêmica de Direito da UFPR. Estagiária no Barioni & Macedo Advogados.

Compartilhar

Outras postagens

ESG na construção civil

ESG na Construção Civil: Integrando Sustentabilidade e Responsabilidade em Contratos e Práticas Empresariais

A interseção entre as práticas ambientais, sociais e de governança (ESG) e a indústria da construção civil tem se tornado cada vez mais relevante e crucial para aquelas construtoras e incorporadoras que desejam acompanhar as tendências do mercado.

Neste contexto, é fundamental compreender os princípios essenciais do ESG e como eles podem ser implementados de forma eficaz dentro deste setor. Esta abordagem não apenas responde às demandas crescentes por sustentabilidade e responsabilidade social, mas também contribui para o sucesso a longo prazo das empresas e incorporadoras na construção civil.

atendimento de excelência - habilidades de trabalho em equipe

Desenvolvendo Equipes de Excelência: A Sintonia entre Soft Skills e Hard Skills na Governança de Dados

No palco dinâmico do mundo corporativo, a busca por talentos frequentemente se assemelha à montagem de um time de elite.Como olheiros em busca de um craque, recrutadores muitas vezes se deixam deslumbrar pela habilidade técnica reluzente de um candidato, negligenciando às vezes aspectos fundamentais para o sucesso da equipe. É como contratar um atleta muito habilidoso, mas individualista, cujo o impacto vai muito além dos seus feitos dentro do campo.
No entanto, assim como no universo esportivo, onde a falta de habilidades comportamentais pode minar a coesão e o desempenho da equipe,

sistema BIM

Construção Civil: Os Impactos Jurídicos do Sistema BIM

A ferramenta “Building Information Modeling” (BIM), modelagem de Informação da Construção, revolucionou a forma como os projetos de construção são concebidos, programados, gerenciados e executados, pois disponibiliza, através da tecnologia, características físicas e funcionais de uma construção. Antes de toda a “vida” de uma construção no formato real é possível vislumbrar, com exata precisão, previamente, no formato virtual. Por proporcionar maior precisão, integração e direcionamento, resulta em redução de custos e de tempo de obra, além de contribuir para a descarbonização do setor.
No entanto, além de suas implicações técnicas, o BIM também apresenta importantes repercussões jurídicas que precisam ser consideradas. Este artigo explorará alguns dos impactos jurídicos do sistema BIM na indústria da construção civil.

Aplicação dos Juros Compensatórios e de Mora em Casos de Limitação Administrativa

Diante da análise da jurisprudência brasileira, fica evidente a importância da aplicação adequada dos juros compensatórios e de mora em casos de limitação administrativa de propriedade.

A interpretação dos tribunais, aliada aos princípios constitucionais e legais, tem contribuído para garantir uma justa compensação aos proprietários afetados por medidas restritivas impostas pelo Estado, notadamente daquelas que esvaziam na totalidade a possibilidade de uso, gozo e fruição da posse e propriedade pelo particular.

Não menos importante, fundamental que os julgadores considerem esses aspectos ao decidir sobre questões relacionadas à desapropriação e limitação administrativa, visando assegurar a efetiva proteção dos direitos de propriedade e o equilíbrio nas relações jurídicas,

Enviar mensagem
Precisa de ajuda?
Barioni e Macedo Advogados
Seja bem-vindo(a)!
Como podemos auxiliá-lo(a)?