Oportunidade: Quitação de dívida com a União

Em 2 de Fevereiro de 2017 foi publicada a portaria PGFN Nº 152, a qual regulamenta o Programa de Regularização Tributária – dispondo acerca de novas possiblidades e regras para pagamento de diversos tipos de Dívidas com a União.

Quais Débitos Participam?

Os débitos que integrarão o PRT poderão ser de PESSOAS FÍSICAS OU JURÍDICAS inscritas em DÍVIDA ATIVA COM A UNIÃO, de natureza tributária ou não tributária, sendo que os débitos têm como data limite de vencimento 30 de novembro de 2016. É possível, também, a inclusão de débitos produto de PARCELAMENTOS ANTERIORES (re-parcelamento) rescindidos ou ativos, e débitos em discussão judicial, mesmo que em fase de execução fiscal já ajuizada.

Prazo para Adesão ao Programa

 

Formas de Quitação do Débito

Os débitos poderão ser quitados de dois modos: (1) através do pagamento a vista de 20% do valor da dívida consolidada, e parcelamento do restante da dívida em até 96 prestações mensais e sucessivas; e (2) através do pagamento do débito consolidado em até 120 parcelas mensais e sucessivas, as quais serão calculadas observando-se determinados percentuais mínimos  –  (a) da 1ª à 12ª parcela: 0,5%, (b) da 13ª a 24ª parcela: 0,6%, (c) da 25ª a 36ª parcela: 0,7% e (d) da 37ª em diante: percentual correspondente ao saldo remanescente, em até 84 prestações mensais e sucessivas  –  aplicados sobre o valor auferido.

O valor mínimo da parcela mensal será de R$ 200,00 para o optante que for PESSOA FÍSICA, e de R$ 1.000,00 para o optante for PESSOA JURÍDICA. O participante do programa que deseja incluir parcelamentos já em curso no montante de débitos consolidados no PRT deverá formalizar a renúncia desses parcelamentos antes de aderir ao programa, de forma irrevogável e irretratável. Cabe também ressaltar, que, para incorporar no PRT débitos que se encontrem em discussão judicial, o optante deverá desistir de eventual ação e abdicar a quaisquer alegações de direito sobre a qual se funde o litígio.

Deferimento e Ordenamento dos Pedidos

Os pedidos de parcelamento que atenderem a todos os requisitos da PGFN nº 152, após o decurso de 90 (noventa) dias da data de seu protocolo (sem manifestação da autoridade competente) serão considerados automaticamente deferidos. O valor das parcelas será atualizado através da taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic), com exceção do parcelamento dos débitos relativos às contribuições sociais instituídas pela LC nº 110, de 2001, que será reajustado na forma do art. 22 da Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990.

Aderir ao PRT abrange a totalidade das inscrições exigíveis em nome do sujeito passivo, na condição de contribuinte ou responsável, implicando deste modo em confissão irrevogável e irretratável dos débitos, condicionando o optante à aceitação plena e irretratável de todas as condições estabelecidas na Portaria PGFN nº 152, de 02 de fevereiro de 2017.[1]

 

[1] Informações retiradas do sitio virtual: http://www.pgfn.fazenda.gov.br/divida-ativa-da-uniao/todos-os-servicos/informacoes-e-servicos-para-pessoa-fisica/programa-de-regularizacao-tributaria-2013-prt-2013-mp-766-2017/programa-de-regularizacao-tributaria-2013-prt-2013-mp-766-2017

Compartilhar

Outras postagens

valuation

Liquidação de Quotas Sociais de Sociedades Empresárias: Critérios para a Adequada e Justa Valoração da Empresa (“valuation”).

Este artigo abordará os aspectos jurídicos, práticos e de “valuation” para a liquidação de quotas sociais em sociedades empresárias no Brasil, com base, principalmente, na jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e nos critérios práticos recomendados para a valoração das empresas.

A liquidação de quotas sociais em sociedades empresárias é um processo complexo que envolve aspectos jurídicos, contábeis, financeiros, operacionais, entre outros critérios técnicos para o devido “valuation”.
Este artigo buscará aprofundar o entendimento sobre o tema, considerando, sobretudo, os parâmetros básicos a partir da jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e os métodos específicos de levantamento do valor real de mercado das empresas.

reequilíbrio contratual

Contratos de Apoio à Produção da Caixa Econômica Federal e o Direito ao Reequilíbrio

A legislação, como se percebe, oferece algumas saídas em caso de eventos imprevisíveis que afetem as condições contratuais. Por um lado, é possível a resolução do contrato por onerosidade excessiva, mas se pode pleitear a modificação equitativa das cláusulas contratuais. O mercado imobiliário, após dois anos de severas dificuldades, dá sinais de que pode retomar seu crescimento. Por outro lado, a insegurança jurídica decorrente de situações que se alastram desde a pandemia é um repelente de potenciais clientes e investidores. A legislação brasileira oferece mecanismos suficientes para rever contratos firmados anteriormente e que tenham sido afetados pela alta dos insumos da construção civil. Por isso, a elaboração de uma estratégia jurídica sólida é fundamental para a manutenção dos investimentos e continuidade de empreendimentos.

Pacto Global da ONU

Barioni e Macedo e uma Nova Era Corporativa: O Compromisso Exemplar do Pacto Global da ONU

A decisão em aderir ao Pacto Global da ONU foi uma extensão natural do nosso compromisso de transformar positivamente a vida de pessoas e empresas, além de contribuir para o desenvolvimento de uma sociedade mais próspera e justa reconhecendo a importância da ética, da responsabilidade e da boa governança corporativa. Ao aderir ao Pacto Global, o escritório se compromete a promover os direitos humanos, o trabalho digno, a proteção ambiental e a transparência, valores fundamentais que estão alinhados com nossa missão de contribuir para o bem-estar social e o respeito aos direitos individuais e coletivos. Nossa missão e valores vão ao encontro com o Pacto Global da ONU, demonstrando que estamos alinhados com os padrões internacionais de sustentabilidade, responsabilidade social e corporativa. Todos da equipe Barioni e Macedo tem como objetivo a construção de um mundo mais justo, inclusivo e sustentável.

Enviar mensagem
Precisa de ajuda?
Barioni e Macedo Advogados
Seja bem-vindo(a)!
Como podemos auxiliá-lo(a)?