Noticia: Ministro apresenta ao senado ações para melhorar produtividade e ambiente de negócios no Brasil

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, apresentou nesta terça-feira (27) na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado medidas tomadas pelo Governo Federal para melhorar a produtividade e o ambiente de negócios no Brasil. Padilha destacou aos senadores medidas de simplificação tributária, redução de custos, iniciativas em infraestrutura e de desburocratização.

Segundo Padilha, o Governo Federal tem tomado iniciativas para enfrentar o cenário histórico de baixa produtividade no Brasil, o que dificulta o crescimento sustentável da economia. “O governo Temer abraçou a agenda de produtividade. Foram implementadas diversas iniciativas que configuram um conjunto coerente e integrado”, disse.Sobre tributação, o ministro ressaltou que está em fase final de elaboração um projeto para simplificar a apuração e recolhimento do PIS-Cofins. Os tributos dois tributos respondem por quase 70% do contencioso com os contribuintes.

Padilha também destacou a ampliação do eSocial, que unifica e simplifica 15 obrigações previdenciárias, fiscais e trabalhistas. Utilizado já por 14,4 mil empresas, o sistema será estendido para as demais pessoas jurídicas do País a partir do segundo semestre. O eSocial gera uma redução de 400 para 80 horas por mês no tempo gasto com pagamento das obrigações, com uma economia estimada de R$ 20 bilhões ao ano.

Financiamento
Em políticas voltadas para o crédito, o ministro salientou o esforço pela credibilidade da política monetária, o que levou a inflação para abaixo da meta e resultou na menor taxa básica de juros da história, em 6,5%. Neste sentido, o governo criou a Taxa de Longo Prazo (TLP), eliminando subsídios não explicitados no Orçamento.

A lei do registro eletrônico de garantias e a proposta de Cadastro Positivo foram duas iniciativas citadas para reduzir o spread bancário.

Para reduzir o custo do consumidor, Padilha citou a diferenciação dos preços e regras do rotativo do cartão de crédito e a redução no custo de operação do cartão de débito para o varejo.

Infraestrutura
Para alavancar o investimento em infraestrutura, o Governo Federal estruturou um amplo programa de parcerias, o PPI.

Foram 70 projetos realizados, com R$ 142 bilhões de investimentos ao longo do período de concessão, entre aeroportos, portos e energia. Há outros 74 projetos em andamento, com R$ 135 bilhões em investimentos projetados.

Só os leilões de petróleo permitirão investimentos de mais de R$ 100 bilhões nos próximos anos, com reflexos positivos nos empregos e R$ 10 bilhões em fluxos futuros de royalties.

Ambiente de negócios
Entre as iniciativas para melhorar o ambiente de negócios, Padilha ressaltou o avanço obtido com a modernização trabalhista e a redução da insegurança jurídica com a lei de terceirização.

A produtividade melhorou no País com o Portal Único de Comércio Exterior, que reduziu de 13 para oito dias o tempo médio no processamento de exportação. Outro avanço neste sentido foi a redução de 40% no tempo de exame de patentes pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

Padilha citou também a priorização da política de segurança publica como forma de melhorar a produtividade das pessoas e das empresas.

“O custo imposto a pessoas e empresas para lidar com a deterioração de sua segurança afeta de forma muito negativa nossa produtividade. Priorizar a segurança é, também, contribuir para o aumento da produtividade da nossa economia, sem mencionar o direito mais fundamental do ser humano, que é o direito à própria vida”, disse.

 

Desburocratização
O Governo Federal concluiu 77 de 226 iniciativas de desburocratização selecionadas pelo Conselho Nacional de Desburocratização. Um exemplo de iniciativas é o programa de regularização fundiária, que beneficiou 169 mil famílias em 2017.

Outro avanço foi o fortalecimento o REDESIM, que reduziu o tempo de abertura e fechamento de empresas de 100 dias para menos de sete em São Paulo.

Para simplificar a vida do cidadão, o governo trabalha na digitalização dos serviços. Um censo realizado pela Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), em parceria com Ministério do Planejamento, identificou a existência de 1.740 serviços na administração federal, dos quais 1/3 estão digitalizados.

disponível em: casacivil.gov.br

Compartilhar

Outras postagens

ESG na construção civil

ESG na Construção Civil: Integrando Sustentabilidade e Responsabilidade em Contratos e Práticas Empresariais

A interseção entre as práticas ambientais, sociais e de governança (ESG) e a indústria da construção civil tem se tornado cada vez mais relevante e crucial para aquelas construtoras e incorporadoras que desejam acompanhar as tendências do mercado.

Neste contexto, é fundamental compreender os princípios essenciais do ESG e como eles podem ser implementados de forma eficaz dentro deste setor. Esta abordagem não apenas responde às demandas crescentes por sustentabilidade e responsabilidade social, mas também contribui para o sucesso a longo prazo das empresas e incorporadoras na construção civil.

atendimento de excelência - habilidades de trabalho em equipe

Desenvolvendo Equipes de Excelência: A Sintonia entre Soft Skills e Hard Skills na Governança de Dados

No palco dinâmico do mundo corporativo, a busca por talentos frequentemente se assemelha à montagem de um time de elite.Como olheiros em busca de um craque, recrutadores muitas vezes se deixam deslumbrar pela habilidade técnica reluzente de um candidato, negligenciando às vezes aspectos fundamentais para o sucesso da equipe. É como contratar um atleta muito habilidoso, mas individualista, cujo o impacto vai muito além dos seus feitos dentro do campo.
No entanto, assim como no universo esportivo, onde a falta de habilidades comportamentais pode minar a coesão e o desempenho da equipe,

sistema BIM

Construção Civil: Os Impactos Jurídicos do Sistema BIM

A ferramenta “Building Information Modeling” (BIM), modelagem de Informação da Construção, revolucionou a forma como os projetos de construção são concebidos, programados, gerenciados e executados, pois disponibiliza, através da tecnologia, características físicas e funcionais de uma construção. Antes de toda a “vida” de uma construção no formato real é possível vislumbrar, com exata precisão, previamente, no formato virtual. Por proporcionar maior precisão, integração e direcionamento, resulta em redução de custos e de tempo de obra, além de contribuir para a descarbonização do setor.
No entanto, além de suas implicações técnicas, o BIM também apresenta importantes repercussões jurídicas que precisam ser consideradas. Este artigo explorará alguns dos impactos jurídicos do sistema BIM na indústria da construção civil.

Aplicação dos Juros Compensatórios e de Mora em Casos de Limitação Administrativa

Diante da análise da jurisprudência brasileira, fica evidente a importância da aplicação adequada dos juros compensatórios e de mora em casos de limitação administrativa de propriedade.

A interpretação dos tribunais, aliada aos princípios constitucionais e legais, tem contribuído para garantir uma justa compensação aos proprietários afetados por medidas restritivas impostas pelo Estado, notadamente daquelas que esvaziam na totalidade a possibilidade de uso, gozo e fruição da posse e propriedade pelo particular.

Não menos importante, fundamental que os julgadores considerem esses aspectos ao decidir sobre questões relacionadas à desapropriação e limitação administrativa, visando assegurar a efetiva proteção dos direitos de propriedade e o equilíbrio nas relações jurídicas,

Enviar mensagem
Precisa de ajuda?
Barioni e Macedo Advogados
Seja bem-vindo(a)!
Como podemos auxiliá-lo(a)?