Empresas de tecnologia dominam ranking de marcas mais valiosas

Pelo quinto ano consecutivo, Apple e Google ocupam as primeiras posições.

As empresas do setor de tecnologia dominam o ranking das marcas mais valiosas do mundo, de acordo com a consultoria Interbrand. Das dez mais valiosas, sete são desse setor, segundo o levantamento.

Pelo quinto ano consecutivo, Apple e Google ocupam as primeiras posições. A Apple cresceu 3% e tem valor de marca de US$ 184,15 bilhões, enquanto que o Google cresceu 6% chegando a um valor de marca de US$ 141,70 bilhões.

Microsoft saltou para o 3º lugar, como uma das 16 marcas com um crescimento de dois dígitos. Seguindo a Coca-Cola, que está em 4º, vêm Amazon, Samsung, Toyota e Facebook, que entra pela primeira vez no top 10 em 8º lugar. Mercedes-Benz e IBM completam o top 10.

As dez marcas mais valiosas do mundo:

  1. Apple – US$ 184,15 bilhões (+3%)
  2. Google – US$ 141,70 (+6%)
  3. Microsoft – US$ 79,99 bilhões (+10%)
  4. Coca-Cola – US$ 69,73 bilhões (-5%)
  5. Amazon – US$ 64,79 bilhões (+29%)
  6. Samsung – US$ 56,24 bilhões (+9%)
  7. Toyota – US$ 50,29 bilhões (-6%)
  8. Facebook – US$ 48,18 bilhões (+48%)
  9. Mercedes-Benz – US$ 47,82 bilhões (+10%)
  10. IBM – US$ 46,82 bilhões (-11%)

As cinco marcas que mais cresceram são Facebook (48%) – pelo segundo ano consecutivo-, Amazon (29%), Adobe (19%), Adidas (17%) e Starbucks (16%).

Mais da metade das Best Global Brands compõe quatro setores: Automotivo (16), Tecnologia (15), Serviços Financeiros (12) e Bens de Consumo (9).

O Varejo é o setor que mais cresceu em termos de porcentagem (19%), seguido dos setores de Artigos Esportivos (10%), Tecnologia (8%), Logística (7%) e Serviços Financeiros (6%).

As 100 marcas mais valiosas do mundo têm um valor conjunto em 2017 de US$ 1,871,73 trilhões, 4,2% a mais do que em 2016. Este ano, além da Ferrari que entrou na lista em 88º lugar, são estreantes a Netflix e a Salesforce.com, respectivamente em 78º e 84º lugares.

O ranking completo pode ser visto no link do Best Global Brands.

O ranking é construído com base em três atributos principais, que contribuem para o valor acumulado de uma marca: performance financeira dos produtos e serviços sob a chancela da marca; papel da marca na decisão de compra do consumidor; força da marca para garantir um preço premium ou ganhos futuros para a empresa.

Marcas brasileiras

Assim como nos anos anteriores, as marcas brasileiras ainda não atendem aos critérios para entrar no rol das marcas globais mais valiosas. Algumas possuem valor financeiro, porém não têm presença global, segundo a Interbrand.

“O Brasil teve uma contribuição importante no expressivo crescimento das marcas de tecnologia no ranking de 2017. Basta olhar para os números do Facebook, Google e Netflix no país – apenas para citar alguns – para constatar que os brasileiros têm uma relação muito forte com estas marcas”, avalia Daniella Giavina-Bianchi, diretora geral da Interbrand.

Disponível em: www.g1.globo.com

Compartilhar

Outras postagens

reequilíbrio contratual

Contratos de Apoio à Produção da Caixa Econômica Federal e o Direito ao Reequilíbrio

A legislação, como se percebe, oferece algumas saídas em caso de eventos imprevisíveis que afetem as condições contratuais. Por um lado, é possível a resolução do contrato por onerosidade excessiva, mas se pode pleitear a modificação equitativa das cláusulas contratuais. O mercado imobiliário, após dois anos de severas dificuldades, dá sinais de que pode retomar seu crescimento. Por outro lado, a insegurança jurídica decorrente de situações que se alastram desde a pandemia é um repelente de potenciais clientes e investidores. A legislação brasileira oferece mecanismos suficientes para rever contratos firmados anteriormente e que tenham sido afetados pela alta dos insumos da construção civil. Por isso, a elaboração de uma estratégia jurídica sólida é fundamental para a manutenção dos investimentos e continuidade de empreendimentos.

Pacto Global da ONU

Barioni e Macedo e uma Nova Era Corporativa: O Compromisso Exemplar do Pacto Global da ONU

A decisão em aderir ao Pacto Global da ONU foi uma extensão natural do nosso compromisso de transformar positivamente a vida de pessoas e empresas, além de contribuir para o desenvolvimento de uma sociedade mais próspera e justa reconhecendo a importância da ética, da responsabilidade e da boa governança corporativa. Ao aderir ao Pacto Global, o escritório se compromete a promover os direitos humanos, o trabalho digno, a proteção ambiental e a transparência, valores fundamentais que estão alinhados com nossa missão de contribuir para o bem-estar social e o respeito aos direitos individuais e coletivos. Nossa missão e valores vão ao encontro com o Pacto Global da ONU, demonstrando que estamos alinhados com os padrões internacionais de sustentabilidade, responsabilidade social e corporativa. Todos da equipe Barioni e Macedo tem como objetivo a construção de um mundo mais justo, inclusivo e sustentável.

apoio à produção CEF

Empreendimentos com Apoio à Produção: Um impulso para o Setor Imobiliário

Os empreendimentos com apoio à produção são projetos imobiliários que recebem suporte financeiro da Caixa Econômica Federal para sua construção e desenvolvimento.

Segundo informações disponíveis no site da CEF, essa modalidade de financiamento destina-se a projetos de construção, ampliação, reforma ou aquisição de imóveis residenciais ou comerciais, em áreas urbanas ou rurais, com foco na geração de emprego e renda.

O “Apoio à Produção” consiste em uma linha de crédito exclusiva no mercado, disponível para empresas do ramo da construção civil e esta linha de crédito oferece duas modalidades distintas:
Sem Financiamento à Pessoa Jurídica (PJ): Destinada à produção de empreendimentos sem a necessidade de financiamento direto à pessoa (…)

Enviar mensagem
Precisa de ajuda?
Barioni e Macedo Advogados
Seja bem-vindo(a)!
Como podemos auxiliá-lo(a)?